Está com a memória fraca? Isso pode ser SPA

A sociedade caminha dentro de leis que são projetadas para que ocorra a sua organização. Isso é bem sabido. Agora, a edificação de uma sociedade não está nas mãos de pessoas educadoras e planejadoras do bem estar social e, sim de comerciantes que visam ter suas ideias compradas a qualquer preço e, com isso, aumentar seus lucros, independente do resultado final. Dentro desse contexto, vamos sendo empurrados contra um futuro que se desenha como um cenário perigoso e incerto. Desmatamentos, seca, poluição, crises de todo tamanho são partes dessa resenha social, temas que resultam da ação do homem que continuam a sua interferência maléfica, aos olhos dos governantes. Como viver calmamente diante de tantas incertezas e desafios? A resposta lógica pode ser encontrada na melhora do desempenho e aumento do conhecimento a cada segundo.
Com a evolução da engenharia, os apetrechos eletrônicos de comunicação virtual, ocuparam o lugar do trabalho humano e constituem ferramentas indispensáveis a qualquer profissional de qualquer área. Com isso, a necessidade de crescimento se faz páreo a uma situação de melhorar o rendimento e assim, bater seus próprios recordes. Celular ligado, computador de bordo, aplicativos de montão e uma busca incessante pelo wi-fi. Esse é o retrato do ser humano que transita pelo mundo. O semblante das pessoas nem sempre é amigável e, a correria que se faz presente, se transforma numa corrida contra o tempo.
Às vezes aparece uma “batedeira no coração”, outras vezes dá vontade de chorar. Esse pode ser não apenas um caso de uma pessoa agitada, mas a representação de sintomas da síndrome do pensamento acelerado (SPA).
Especialistas dizem que a síndrome do pensamento acelerado não é uma doença, mas sim um sintoma vinculado a um que é uma derivação do transtorno de ansiedade generalizada. As pessoas mais vulneráveis geralmente são aquelas que são avaliadas constantemente por conta das suas obrigações profissionais ou aquelas de índole competitiva.
As possíveis causas são, além da pressão profissional, estão por conta do excesso de informações às quais somos submetidos durante o dia, condição necessária considerada normal, nos dias de hoje. Esse estado de coisas, deixa a pessoa hiperativa, podendo levar à depressão e a um nível de ansiedade extrema.
O mundo está cada vez mais veloz, principalmente depois do advento das maquinetas cibernéticas que fazem parte do nosso dia-a-dia. Essas informações em grande escala, saturam o cérebro, produzindo uma mente hiperpensante, agitada, com baixo nível de aprendizado e dificuldade na memorização. Quanto mais a pessoa se estressa, mais terá dificuldades em reter informações. A memória se torna cada vez mais prejudicada com o excesso de estímulos que leva o indivíduo a um grau de dispersão mental, prejudicando o armazenamento de fatos, sitiado nas regiões do “hipocampo e córtex” (áreas cerebrais). O estresse aumenta a velocidade das ondas cerebrais, causando uma série de situações onde a pessoa passa de um estado de equilíbrio a um grau de hiperatividade. Essa é uma condição moderna que tem origem com o ritmo alucinante das grandes cidades, com overdoses diárias de informações e obrigações que afetam a saúde emocional de uma boa quantidade de gente. Depressão, estresse, síndrome do pânico e nomofobia (medo de ficar sem celular) são outros exemplos de situações que ocorrem com muito mais frequência nas últimas décadas. O tratamento não é medicamentoso como temos visto, mas adaptogênico e através de terapias verbais.
Sintomas da síndrome do pensamento acelerado
É comum entre quem tem a síndrome do pensamento acelerado ter a impressão de que 24 horas são insuficientes para cumprir tudo o que você tem planejado para o dia. Há o sentimento persistente de apreensão, falta de memória, déficit de atenção, irritabilidade e o sono, cada vez mais alterado, com aparecimento de insônia. O humor ciclotímico (variável) é outra característica bem comum. Passar uma noite inteira no Facebook ou diante do computador, significa uma quantidade absurda de textos (lidos e escritos) e imagens passando pelo nosso cérebro em um tempo muito curto. Além disso, ser usuário de uma rede social colabora para a ansiedade pois, cria-se o costume de consultá-las o tempo todo para checar se foi correspondido ou se há novas mensagens.
Dicas para viver melhor
– Tenha mais contato com a natureza. Caminhe ao ar livre, admire as árvores e os animais, aprecie o silêncio e o vento no rosto. Já aguou sua hortinha hoje? Pois é, as atitudes mais simples são aquelas nas quais se adquire saúde.
– Pratique um esporte, leia um livro e conte histórias para seus filhos ou sobrinhos.
– Não cobre demais os outros nem a si mesma, isso torna a vida angustiante. Afinal de contas tudo na vida tem uma solução.
– Aprenda a relaxar. Pare um momento do dia (meia hora), escute uma música suave, faça acupuntura, yôga ou meditação. Pare alguns momentos durante o dia para se cuidar.
– Não leve a vida muito a sério. Não vale a pena guardar rancores. O que foi feito não voltará atrás. Perdoe o outro e se perdoe.
– Dê mais risada, toque violão, conte uma piada, encontre com os amigos e lembre-se: as coisas mais gratificantes da vida não dependem da riqueza, então… Sorria!
Até a próxima.

Comentários estão fechados