Controle e Monitoramento da Água

A água é o elemento fundamental da vida. Seus múltiplos usos são indispensáveis a um largo espectro das atividades humanas, onde se destacam, entre outros. O abastecimento público e industrial, a irrigação agrícola, a produção de energia elétrica e as atividades de lazer e recreação, bem como a preservação da vida aquática.

A crescente expansão demográfica e industrial observada nas últimas décadas trouxe como consequência o comprometimento das águas dos rios, lagos e reservatórios. A falta de recursos financeiros nos países em desenvolvimento em agravado esse problema, pela impossibilidade da aplicação de medidas corretivas para reverter a situação.

As disponibilidades de água doce na natureza são limitadas pelo alto custo da sua obtenção, nas formas menos convencionais, como é o caso da água do mar e das águas subterrâneas. Deve ser portanto da maior prioridade a preservação, o controle, o monitoramento e a utilização racional das águas doces superficiais.

O controle e o monitoramento dos recursos hídricos, tem o objetivo de:

*avaliar a evolução da qualidade das águas interiores para cada ponto de amostragem;

*propiciar o levantamento das áreas prioritárias para o controle da poluição das águas;

*subsidiar o diagnóstico da qualidade das águas doces utilizadas para o abastecimento público e outros usos;

*dar subsídio técnico para a elaboração dos relatórios de situação dos recursos hídricos, realizados pelos Comitês de Bacias Hidrográficas;

*identificar trechos de rios, onde a qualidade da água possa estar mais degradada, possibilitando ações preventivas, assim como, construção de ETEs por parte do município responsável pela poluição ou adequação de lançamentos industriais.

A boa gestão da água deve ser objeto de um plano que contemple os múltiplos usos desse recurso, desenvolvendo e aperfeiçoando as técnicas de utilização, tratamento e recuperação de nossos mananciais.

Comentários estão fechados