Como tomar decisões corretamente

“ É preciso guiar a mente para um estado de calma antes de tomar uma decisão em situações desafiadoras. Para isso precisamos treinar a mente.” – Brahma Kumaris
Diante da necessidade de tomar uma decisão importante, geralmente as pessoas procuram a resposta fora, enquanto o segredo do sucesso é que ela está dentro de cada um… esse é um jargão talvez já bastante difundido, mas nem tanto ouvido. Sempre temos a resposta… basta procurar de forma inteligente. Só que para alguns é mais fácil procurá-la em outra pessoa, passando a responsabilidade à frente… o outro é essencial na medida em que pode se tornar um canal de escuta para que nós próprios nos ouçamos… aí sim…
Existem várias situações em que escolher é desafiador e implica em sérias conseqüências. Por exemplo na escolha profissional. Existe o processo de orientação que ajudará o indivíduo a se ouvir, Antigamente existiam os testes que davam respostas. Hoje sabemos que o processo é um roteiro com reflexões de autoconhecimento e conhecimento do mercado que conduzirão o indivíduo a uma conclusão mais consciente. Sabe-se que a resposta só pode ser dada por ele mesmo, e existem técnicas que o nortearão. Enfim… escolhemos constantemente…
São tantas as circunstâncias, inclusive algumas mais sérias como ter um filho, ou casar, ou mudar de emprego, ou qualquer outra situação. Nem Freud nem ninguém possui certas respostas que são absolutamente singulares. Muitos confundem a Ciência da Psicologia com aconselhamento. Profundo equívoco. Isso é uma afronta à Freud, Jung, aos cientistas. Pois é comprovado que o que cura em um processo Psicoterápico é a energia psíquica que vem de dentro para fora do paciente. E não o contrário. Muitas são as filosofias que pregam essa premissa. Além da esfera científica, a espiritual, que conduz à vivência de calar o pensamento e conseguir ouvir as respostas.
Nesse mundo acelerado, de grande agilidade na velocidade das informações, quem consegue a experiência de se ouvir descobre a eficiência desse recurso nas tomadas de decisão… dormir com a pergunta e se condicionar para ouvir a resposta é uma técnica interessante. Tirar o foco do problema (através de atividades físicas, da produtividade, da arte, etc.) e posteriormente voltar às questões com a mente menos saturada traz insights. Conversar consigo mesmo, ou com alguém com o intuito de se escutar também é outro caminho. Calar a mente, ou treinar a mente como foi falado na citação ao início desse artigo pode ser realizado de todas essas maneiras e também através da técnica de meditação. Meditar é estar inteiramente presente. Pode ser realizado focando a mente em um símbolo (uma flor etc.), ou vivendo cada momento sem deixar a mente ir para o futuro ou passado. Estar com a mente onde o corpo estiver. Através também da oração, indivíduos experimentam inúmeras sensações interessantes, pois se estiverem totalmente disponíveis ao que fazem, entram em estado meditativo.
O equilíbrio entre o externo e o interno é sempre o caminho… mas diante de sérias decisões, ouça o que vem de dentro de você, e tomará a melhor atitude, certamente…

Comentários estão fechados