Deus Salve o Rei: Dois príncipes que não querem ser o rei

Foto de Afonso e Amália

Um herdeiro de um trono apaixonado por uma plebeia. Um príncipe inconsequente, que só pensa em aproveitar as mordomias da realeza. Uma princesa ambiciosa, capaz de tudo para conseguir o que deseja. E assim começa a trama de Deus Salve o Rei, novela das 19h, exibida pela Globo a partir de janeiro de 2018.
Há décadas, os reinos de Montemor e Artena vivem em paz, e tudo continuaria assim se as consequências de uma escolha não mudassem o curso de seus destinos.

Afonso (Romulo Estrela), príncipe herdeiro de Montemor, é um homem honrado, justo e que, desde criança, foi preparado para, um dia, assumir o trono. Exatamente o oposto de seu irmão caçula, o irresponsável e inconsequente Rodolfo (Johnny Massaro), que só pensa em aproveitar as mordomias de sua vida de príncipe.
Montemor é um reino próspero, rico em minério de ferro, mas onde falta algo essencial para sua subsistência: água. Artena, por outro lado, possui este recurso em abundância. Um acordo, há muitos anos vigente entre os dois reinos, garante que o minério produzido em Montemor seja fornecido à Artena em troca de sua água.

Artena é governada pelo rei Augusto (Marco Nanini), um homem sábio e benevolente, que tem em sua filha, a princesa Catarina (Bruna Marquezine), sua sucessora. Mas Catarina, ao contrário do pai, tem planos mais ambiciosos para seu reino e não medirá esforços para conquistar seus objetivos.
A morte da rainha de Montemor, Crisélia (Rosamaria Murtinho), avó de Afonso e Rodolfo, abala perigosamente a paz até então mantida entre os dois reinos. Afonso logo deverá se tornar rei, mas o amor pela plebeia Amália (Marina Ruy Barbosa), de Artena, o faz abdicar do trono, entregando o posto a seu despreparado irmão, o que torna ainda mais frágil as relações com o reino vizinho. E, neste momento, Catarina tem uma grande oportunidade de colocar em prática seus planos expansionistas.
“É uma novela que parte de uma linha dramática destes dois reinos, que dependem um do outro, e num determinado momento entram em conflito. Partimos do drama para chegar no humor”, explica o diretor artístico Fabrício Mamberti.
“A novela é uma trama medieval que tem como ponto de partida dois príncipes que não querem o trono. É uma história que tem já, na essência, um elemento muito dramático e muito cômico entre esses dois príncipes, irmãos: um com medo de ser rei e outro abdicando ao trono por amor a uma plebeia”, define o autor Daniel Adjafre.

Foto de Marina Ruy Barbosa interpretando Amália
Principais personagens: Amália (Marina Ruy Barbosa), Afonso (Romulo Estrela), Catarina (Bruna Marquezine), Rodolfo (Johnny Massaro), Lucrécia (Tatá Werneck), Constantino (José Fidalgo), Augusto (Marco Nanini), Crisélia (Rosamaria Murtinho), Cássio (Caio Blat), Demétrio (Tarcísio Filho), Diana (Fernanda Nobre), Saulo (João Vithor Oliveira), Betânia (Dayse Pozato), Romero (Marcello Airoldi), Heráclito (Marcos Oliveira).
Deus Salve o Rei, em exibição na Globo a partir de 9 de janeiro de 2018, é escrita por Daniel Adjafre e com direção artística de Fabrício Mamberti.

Comentários estão fechados