‘Ouro Verde’: Um acerto de contas com o passado

Última atualização: 15/07/2019 às 13:09

Foto de cena da novela

‘Ouro Verde’ conta a história de Jorge Monforte, dono do império Ouro Verde, uma empresa localizada na Amazônia e de grande expressão no mercado agropecuário mundial.

Jorge conquista um assento no restrito conselho de administração do Banco Brandão Ferreira Fonseca (BBFF), uma empresa familiar liderada pelo poderoso banqueiro português Miguel Ferreira Fonseca. No entanto, a ideia de ter um estrangeiro na administração da instituição não agrada muito a família, que suspeita das intenções do bilionário.

O que ninguém sabe é que Jorge Monforte é a nova identidade de Zé Maria, dado como morto há 15 anos, que volta para fazer justiça pela morte de toda sua família.

Seu pai, João Magalhães, era diretor financeiro do BBFF e foi acusado de estar envolvido em um esquema de fraude e desvio de capital. Para se defender, João ameaça Miguel e promete denunciar todos os esquemas sujos do banco caso não o tirem daquela situação. Miguel sabe que que João é um perigo para seu nome e seus negócios, por isso, envia um assassino até sua casa para simular um suicídio. A família de João que havia saído, decide voltar para casa e ao se deparar com a situação, também acaba morta, com exceção de Zé Maria, que consegue sobreviver.

Zé Maria fica em coma e acorda somente seis meses depois. Quando ele decide volta com sua vida ao normal, procura Miguel para arranjar um trabalho e se encontra com o assassino de sua família. Ainda no mesmo dia, ele esbarra e conhece Bia, por quem se apaixona à primeira vista. A única coisa que Zé Maria não sabe é que Bia é filha de Miguel, mandante dos crimes contra sua família e o homem que planeja destruir.

Por ser a única testemunha da noite dos assassinatos, Zé corre risco de vida e decide fugir para o Rio de Janeiro.

Já no Brasil, Zé Maria salva Januário Cavalcantti, um importante coronel com vastas terras na região da Amazônia. A atitude mudará a vida de Zé, que meses depois, além da amizade do coronel, receberá uma proposta para trabalhar como peão da fazenda. Durante esse tempo, ele perde totalmente o contato com seu grande amor, Bia.

Anos depois, mais rico do que nunca, Jorge decide que chegou a hora de acertar as contas com o passado. Seu plano é destruir Miguel Ferreira da Fonseca, leva-lo à miséria e vingar a morte de sua família.

Porém, seus planos serão colocados em dúvida quando Jorge é chamado com urgência a uma de suas fazendas, onde estão sendo realizados protestos de um movimento ambiental contra o grupo Ouro Verde. No da manifestação, Jorge encontra Bia, atualmente uma importante ativista ambiental.

O principal problema é a decisão de seguir ou não com a ideia de destruir Miguel Ferreira Fonseca, uma vez que fazendo isso, ele afetará a mulher de sua vida, Bia, e corre o risco de nunca conquistar seu perdão.
‘Ouro Verde’, da autoria de Maria João Costa e protagonizada por Diogo Morgado e Joana de Verona.

Estão no elenco:

Jorge Monforte/José Maria Magalhães (Diogo Morgado)
foto de personagem
É brasileiro, proprietário do grupo Ouro Verde, que inclui milhares de hectares na Amazônia, e um dos maiores produtores de soja e de gado do continente americano. É um homem frio, severo, pouco dado a emoções. Não dá confiança a ninguém e analisa bem o caráter de uma pessoa antes de a admitir em seu círculo restrito. O que ninguém sabe é que Jorge Monforte é a nova identidade de Zé Maria Magalhães, o filho de um ex-diretor financeiro do BBFF e que está de volta à pátria com um único intuito: vingar-se. Há 15 anos, na sequência de um escândalo financeiro envolvendo o BBFF, seus pais foram mortos por ordem de Miguel Ferreira da Fonseca. Zé Maria também foi atingido, mas depois de passar seis meses em coma, acordou e conseguiu fugir para Madrid, onde foi ajudado por Bia – por quem se apaixonou sem suspeitar que ela era filha do carrasco da sua família. Mas o assassino continuava à solta e Zé Maria fugiu para o Rio de Janeiro, onde simulou o seu próprio funeral. Apesar do sucesso que obteve além-mar, Jorge nunca esqueceu o passado e elaborou um plano de vingança. O que ele não esperava, enquanto planeava a humilhação e a desgraça dos Ferreira da Fonseca, era descobrir que Bia é filha de Miguel. Inicialmente a descoberta foi um choque, mas Jorge rapidamente se convenceu que os sentimentos não podiam atrapalhar seu plano. Quando por um acaso do destino, Bia aparece na sua fazenda na Amazônia, os alicerces de Jorge estremecem. Será que, sabendo que ela sofrerá as consequências, Jorge conseguirá manter-se fiel aos seus planos de vingança?

Bia Ferreira da Fonseca (Joana de Verona
Foto da personagm
É uma ativista respeitada, fundadora e presidente da Mundo Verde, uma ONG de defesa do meio ambiente. É também a filha preferida de Miguel Ferreira da Fonseca. Apesar da ligação especial com o pai, Bia preza sua independência e faz questão de ver o seu valor reconhecido não por ser filha de quem é, mas sim em virtude do seu trabalho. É uma idealista inconformada, acredita que as gerações anteriores arruinaram o planeta e sente a responsabilidade de contribuir para um mundo melhor. É uma pessoa alegre e bem-disposta e entrega-se de forma abnegada aos outros. Bonita e elegante, desde nova se habituou a ser alvo da cobiça de rapazes da sua idade e até dos mais velhos. Porém, nunca deu muita bola para eles. A única exceção foi Zé Maria Magalhães, que até hoje relembra como aquele que poderia ter sido o amor da sua vida. Os dois viveram uma relação breve, mas intensa, e que foi abruptamente interrompida quando Zé Maria teve de fugir para o Brasil para não ser morto. Desde que ele foi embora, eles se falaram apenas uma vez, e depois Zé Maria desapareceu completamente. Bia nunca deixou de pensar nele e guarda um misto de mágoa e preocupação por ele não ter a procurado mais.

Miguel Ferreira da Fonseca (Luís Esparteiro)
Foto do personagem
É banqueiro, mas durante muito tempo queria ser tenista profissional. Teve uma educação muito rigorosa e formal. Foi essa mesma educação que transmitiu aos três filhos. Foi muito amado pela mãe, mas a relação com o pai foi sempre fria, distante. Os pais não tinham um casamento feliz. Hoje, é presidente do BBFF, lugar anteriormente ocupado pelo pai, José, que apesar de ter se aposentado, ainda dá opiniões sobre o banco sobre e as decisões de Miguel. Isso é uma fonte de atrito entre os dois. A relação com o irmão mais novo, Antônio, também não é pacífica. É um homem inteligente, que conhece muita gente, mas tem apenas um amigo: Otelo, seu advogado. Ele espera que Mônica seja igual à sua mãe: submissa. E que sirva aos interesses da família e, sobretudo, aos do banco. Mônica pensa de maneira diferente e não abdica da sua carreira: é médica num hospital público. O casamento deles vai de mal a pior. Miguel gosta de mulheres bonitas e sempre teve amantes. Não é dado a devaneios, é um homem prático, frio, que tem sempre um ar preocupado, como se a economia do mundo fosse responsabilidade sua. É o chefe da família e exerce esse poder com mão de ferro. É egoísta, vingativo, implacável. Lida muito mal com a derrota.

Mônica Ferreira da Fonseca (Sílvia Pfeifer)
Foto da personagem
É médica pediatra em um hospital público e a Medicina é a sua grande paixão. Filha única de Guilherme e Mafalda de Sousa, herdou uma enorme fortuna quando os pais morreram em um acidente de carro. O pai era um dos sócios do BBFF. Assim como o marido Miguel, teve uma educação rigorosa, formal, mas a relação com os pais era muito afetuosa. Casou muito cedo com Miguel, pouco depois dos pais terem morrido, em busca da família que tinha perdido. Tem quatro filhos: Beatriz, Tomás e os gêmeos Salvador e Mafalda, de quem gosta muito, embora tenha uma relação muito tensa com Bia, que a acusa de ser uma mãe ausente, de passar mais tempo no hospital do que em casa. Mônica é uma mulher inteligente, trabalhadora, pessimista. Acredita em Deus, mas não acredita na humanidade. Acha que o dinheiro público é mal gerido. Curiosamente, nunca sentiu necessidade de questionar a gestão do banco. A ausência de amor no casamento é a sua grande desilusão. E isso transformou-a, tornando-a naquilo que é hoje: uma mulher com baixa autoestima, que não acredita em si, que aceita a sua vida como uma fatalidade contra a qual não vale a pena fazer nada. É constantemente humilhada pelo marido em pequenas coisas e isso a tortura. Ainda não desistiu da ideia de um dia poder viver um grande amor, mas age de forma tão acomodada no seu casamento que isso lhe parece apenas uma miragem distante.

Neném (Zezé Mota)
foto da personagem
Nasceu na Bahia, na fazenda dos pais de Dona Rosalva. Quando a patroa nova casou com Januário Cavalcantti e se mudou para a Amazônia, Neném foi com ela. Era ainda uma adolescente. Desde então, tomou conta da cozinha e da casa, mas nunca deixou de ser mãe de santo. Hoje, é Neném quem manda e desmanda na fazenda Ouro Verde, sobretudo desde que Dona Rosalva morreu. Ele é uma boa pessoa, tem um coração enorme, onde cabe toda a gente. Queria ter tido muitos filhos, mas só teve uma: Arlete, que desapareceu atrás de um caixeiro-viajante. Neném nunca mais soube da filha e dedicou-se a cuidar conta do neto, Jamisbrau, fruto de uma relação que Neném condenava. Anos mais tarde, toma conta de Jorge Monforte, quando o rapaz aparece na fazenda. Não é uma mulher dada a choros, aceita os momentos maus da vida como uma lição que todos temos de aprender. Jorge trata-a como uma mãe e Neném tem uma vida com a qual nunca sonhou. Por vontade do rapaz, ela passa o dia na sala, vendo novelas na televisão. Mas Neném não gosta de estar quieta e continua a passar muitas horas na cozinha.

Valéria de Scarpa (Úrsula Corona)
foto da personagem
Brasileira e fisioterapeuta, que conheceu Tiago Andrade no Rio de Janeiro. Trabalharam juntos e tiveram um caso. Quando Tiago volta para Lisboa, Valéria não se conforma com o afastamento e, meses depois, vai para Lisboa. É uma mulher muito ambiciosa e quer arrumar um marido rico. Na opinião dela, amor é coisa de novela. É ótima profissional, embora não queira trabalhar por muito tempo.

José Ferreira da Fonseca (Rui Mendes)
foto do personagem
É banqueiro e o patriarca da família Ferreira da Fonseca. É um homem de princípios, mas não é um santo. É viúvo de Eduarda, com quem não teve um casamento feliz. A relação era formal e Eduarda o traiu. José também não era um marido exemplar. A única mulher que amou verdadeiramente foi Amanda Nascimento, que foi sua amante ainda muito nova. José levou-a para o BBFF, como secretária, e a moça revelou-se uma funcionária eficiente. Ele acredita em Deus porque um homem precisa acreditar em qualquer coisa para se distinguir dos animais, mas não é religioso. Vai à missa porque isso é um ritual que é preciso cumprir, faz parte de uma estrutura social em que acredita: as elites devem dar o exemplo. É muito amigo do padre Sebastião, com quem joga xadrez todas as semanas. É um homem das finanças, que fez crescer o banco que seu pai fundou a partir de uma pequena casa de câmbio. A nova economia é uma abstração que lhe desagrada profundamente: mercados, fundos etc. Odeia isso tudo, não percebe a economia virtual. Quando ficou doente, cedeu o lugar a Miguel, o filho mais velho, embora saiba que Antônio, o mais novo, seria o mais indicado: é mais inteligente e mais “financeiro”, com uma visão dos negócios mais próxima da sua. Foi um pai distante e um marido frio, estava muito ocupado com o banco. Agora, é um homem de afetos, que adora os netos, que olha com bom humor e muita ternura para as ideias ambientais e veganas de Bia. Tem ainda uma relação especial com Mônica, a nora mais velha, filha do seu sócio e grande amigo, Guilherme de Sousa, que morreu cedo demais.

Veja também